Contact Us

Use the form on the right to contact us.

You can edit the text in this area, and change where the contact form on the right submits to, by entering edit mode using the modes on the bottom right. 

PT | E - Dudha Devi

DUDHA DEVI


Artistas:

Beatriz Tambelli
Caroline Paternostro


Sobre:

A apArt Private Gallery com curadoria de Emmanuelle Saeger Carvalho, apresenta a artista paulista Beatriz Tambelli com a mostra Dudha Devi. Composta por dezesseis trabalhos e com a coautoria da fotógrafa baiana Caroline Paternostro, a mostra tendo como tema as entidades femininas – a Deusa do Amor, da Verdade Suprema, da Oportunidade e do Equilíbrio. Beatriz Tambelli é uma artista extremamente sensível com um trabalho tocante, provocador, instigante, e ao mesmo tempo delicado e profundo, que reflete sua busca intelectual e espiritual. E é isto que a torna um talento com consistência estética, constância de trabalho e uma criatividade incessante.

Com um calendário de exposições para este ano em várias cidades brasileira e no exterior, e já tendo o aval de grandes colecionadores e instituições que adquiriram suas obras, o que significa um início de trilha fundamental na construção da carreira de qualquer novo artista, Beatriz Tambelli, nos seus vinte e seis anos, produz um trabalho significativo, denso e coerente na arte contemporânea brasileira. Caroline é uma fotógrafa baiana com formação em jornalismo especializado no universo feminino, tem um olhar mágico e único, capta em diferentes formas, cores e poesia tudo o que vê. Escolheu a fotografia como profissão, pois sentiu a necessidade de expressar e interpretar seu mundo para outras pessoas. Em seu trabalho o que fica claro é que sua sensibilidade ao captar sentimentos permite que a imagem extrapole o meio físico do papel. Neste projeto foi coautora realizando as fotografias. As obras são criadas através de um processo técnico onde inicialmente são pintados corpos de mulheres como telas, para em seguida colocá-las numa piscina de leite, sendo esse processo registrado através de fotografia. Alguns críticos chamam este trabalho de uma espécie de “site specificity documentado através da fotografia” realizados por Caroline. Outros abordam esse material apenas como fotografia.

A pintura dos corpos engloba também a forma com que cada modelo incorpora a sua personagem, como se movimenta quando no leite, a escolha da artista de cada elemento para seu foco, e a interferência constante da pintora quando destes momentos. Em seguida, com os corpos deixando de serem telas, passam a se constituir em esculturas vivas quando são fotografados para o registro final, o que será exibido e observado pelos espectadores. "Dudha Devi - Entidades Femininas trata de quatro deusas: Isis (deusa do amor), Portia (deusa da justiça e oportunidade), Libra (deusa do equilíbrio) e Virginia (deusa da verdade divina). Estas mulheres personificam a Terra Prometida, a benevolência celestial, o pulso para realização, o braço que acolhe, a doçura tão presente no trabalho e na vida de Beatriz. Corpos que, antes de tornarem-se fotografia, são telas, pinturas, esculturas que repousam numa piscina de leite para serem reveladas em fotografias. As obras, de autoria de Beatriz Tambelli e Caroline Paternostro, eternizam a performance destas mulheres, que atuam na simbologia de cada entidade representada. Um sight specific registrado? Uma performance registrada? Esculturas vivas criadas para serem fotografadas? Acreditamos que, na arte, não há subtrações, mas adições de linguagens. Então, fica aqui o nosso convite para que você construa a continuidade destas cenas, para que recrie a harmonia e a desarmonia entre as várias etapas desta mostra, para que encontre a emoção que buscamos provocar diante de seu olhar, criando, assim, sua própria realidade. Olhe. Olhe de novo.” Emmanuelle Saeger